Bem vindo a Tamitzaa!

"Os últimos dias de Tamitzaa"!

Bem vindo a Tamitzaa!

Postby Gereth » 03 Dec 2010, 12:42

Image


Bem vindo a Tamitzaa cidadão imperial. Amplas oportunidades de emprego e uma vida de aventura o aguardam!

Image
User avatar
Gereth
The Painting Frog
 
Posts: 2151
Joined: 25 Jul 2009, 22:33
Location: Cuiabá - Mato Grosso

Re: Bem vindo a Tamitzaa!

Postby Gereth » 14 Dec 2010, 22:25

+++ Encyclopaedia Galactica +++

Log de Acesso: 2.356
Data: 99914122010.M41
Usuário: Zodiar
Senha: *****************

Validando Acesso....

Nível de Acesso: Magenta – Ordo Xenos – Alta Prioridade
Protocolo de Criptografia: Lambda +

Boa Noite, Lorde Zodiar. Pode proceder...
Entre Busca: Sistemas Binários | Segmentum Tempestus

Procurando....

Resultado da Busca “Sistemas Binários | Segmentum Tempestus”:
Belahaam
Cloister
Clove
Dalthus
Dwimlicht
Elros
Guytoga
Heterodyne
Hilarion
Mara
Phyrr
Pilgrim's Pause
Samson
Sekmet
Stygian Prime
Tamit Zaa
Threnos
Valos Krin

Entre Busca: Refinar Busca | Sistemas Binários | Segmentum Tempestus | Anomalias Recentes

Procurando....

Resultado da Busca “Refinar Busca | Sistemas Binários | Segmentum Tempestus | Anomalias Recentes”

Tamit Zaa

Entre Busca: Tamit Zaa

Procurando....

Resultado da Busca “Tamit Zaa”:



Image


Sistema Tamit-Zaa

Segmentum: Segmentum Tempestus

Setor: Loki

Sub-setor: Hagnarok

Afiliação: Império

Dados Astronômicos: Sistema binário composto por uma Estrela Amarela, classe VII e uma Anã Branca parasita, classe II. Contém um sistema estelar de sete planetas (Lyra, Mirella, Shanti, Nimbus, Incudem, Ultione e Marmoria – selecionar para maiores detalhes)

História: O Sistema Tamit-Zaa conta com uma longa e orgulhosa história de afiliação ao Império. O primeiro planeta a ser colonizado no sistema foi Incudem (Tamit V ou Kappa Digamma II – T), em uma época muito remota, antes da Era Imperial e provavelmente durante a grande Diáspora de Marte na Era Negra da Tecnologia, uma data específica guardada e já esquecida em uma das muitas Bobinas de Dados das bibliotecas em Olimpus Mons. O planeta à época consistia apenas de um dos muitos Mundos-Forja criados pelo Mechanicum quando de suas explorações iniciais na Galáxia, a dezenas de milhares de anos atrás.
Foi somente no 36º. Milênio, pouco antes dos terríveis eventos da Era da Apostasia que Tamit-Zaa passou a ser realmente colonizado como um todo e entrou definitivamente nos anais do Império.
Com a transferência do centro de poder Eclesiástico e da Igreja Imperial do sagrado solo da Terra para o sistema de Ophelia, decisão tomada pelo Eclesiarca Benedin IV ao final de M35, o Segmentum Tempestus passou a ser um dos mais importantes da Galáxia, somente atrás do Segmentum Solar. A construção das imensas Catedrais e Monumentos Eclesiásticos em Ophelia VII requeriu grandes quantidades de materiais e mão de obra, e logo foi localizado um planeta com gigantescos depósitos calcáreos, de onde poderiam ser extraídos os preciosos mármores necessários às construções. Imediatamente foram instaladas cidades fronteira de exploração no planeta Marmoria, que com o tempo e os imensos lucros gerados cresceram para se transformar nos primeiros Hive-Cities do sistema. Por volta de M37 grandes cartéis extratores já estavam estabelecidos, e mesmo após os tempos turbulentos da Era da Apostasia as exportações para outros centros imperiais manteviveram a economia do sistema estável e em crescimento.
Com o declínio do sistema de Ophelia após o retorno da capital Eclesiástica para a Sagrada Terra durante a regência de Greigor XI, os bilhões de trabalhadores residentes neste sistema foram realocados para recém construídas Hive-Cities em setores vizinhos, entre eles os recém fundados Hives de Strata (Nimbus – Tamit IV), Alcides Mons (Incudem – Tamit V) e Marmoria Prime (Marmoria – Tamit VII), aumentando efetivamente a população total do sistema. Ainda no tocante ao crescimento populacional vale ressaltar que durante a Era da Apostasia o planeta forja de Incudem foi um dos principais fornecedores de material bélico para o Apóstata Gore Vandire e a frota do Segmentum localizada em Bakka (base naval do Segmentum Tempestus).

Fatos Atuais:

- O sistema estelar binário de Tamit Zaa está instável, com grande possibilidades de colapso total iminente;

- Ultione (Tamit VI) está sob investigação do Administratum – suspeita de corrupção;

- Incudem (Tamit V) está sob investigação do Administratum – suspeita de atividades separatistas;

- Sinais de atividade etérica fora de escala foram detectados em Lyra (Tamir I) e Ultione (Tamit VI).

(...)

“- Acordado a esta hora, Senhor?

- Sim, meu caro Iodem...

- Pesadelos novamente?

- Quando o sono de um psyker não é atormentado por pesadelos?

- Hummmm... Kallimakus Mahavastu, M31, em suas Memórias de Prospero, se não me engano... Um bom livro...
Lorde Zodiar Bellios sorri, ainda se espantando depois de tantos anos com a capacidade cognitiva e a fantástica memória de seu sábio particular, Iodem Kurnos. Pequeno, de compleição frágil, uma lustrosa careca e olhos biônicos que o fitam como dois pontos vermelhos na penumbra de seu escritório particular, Iodem lembra uma coruja velha e encarquilhada empoleirada sobre um galho.

- Sim, velho amigo... Um bom livro...

- Algo em particular o atormenta para que o senhor esteja em seu cogitador após o pesadelo?

- Uma fênix flamejante lutando contra um pequeno dragão radiante. A fênix perde a batalha. O dragão consome ela e seus filhotes.

- Ambos símbolos solares arquetípicos... Pela dualidade eu sugeriria humildemente um sistema binário. Neste segmentum e que caem nesta categoria teríamos Belahaam, Cloister, Clove, Dalthus, Dwimlicht, Elros, Guyt...

- Tamit Zaa.

- Seria o décimo sexto de minha lista, em odem alfabética, senhor. Algo de interesse lá?

- Apenas uma intuição...

- Intuição? – pergunta Iodem, franzindo a testa com uma expressão cômica no seu rosto manchado pela idade, fingindo indignação – Achei que Inquisitores como o senhor não seguiam intuições, mas apenas fatos...

- Depois de cento e quinze anos ao meu lado, achei que você confiasse mais em minhas “intuições”, velho amigo...

- Cento e dezesseis anos, oito meses, vinte e seis dias, quatorze horas e... Que horas são exatamente?

- Que seja – interrompe Zodiar, pensando em como a infinita verborragia de Iodem só seria comparável à sua memória – mas acho que temos algo acontecendo lá...

- Interessante... Precisa de alguma coisa, senhor?

- Me traga uma garrafa de Amasec.

- Temos na adega um delicioso Castarr de Gudrum, envelhecido em barris de Elacca por 35 anos, ou também um seco de Clove, com aroma frutado, sem contar o fantástico Kashim da safra de 89...

- O Castarr estaria ótimo! – responde Zodiar já sem paciência.

- Que seja então, o Castarr. Mais alguma coisa?
-
Sim.

- E o que seria, senhor?

- Contacte o Astropata. Partimos para Tamit Zaa assim que os reatores de plasma estiverem aquecidos...”
User avatar
Gereth
The Painting Frog
 
Posts: 2151
Joined: 25 Jul 2009, 22:33
Location: Cuiabá - Mato Grosso

Re: Bem vindo a Tamitzaa!

Postby Gereth » 15 Dec 2010, 16:30

Planeta Mirella (Tamit II)
Hora Local: 02:12:37 AM
“Las Estrelas”


AWOOOOOOOOOOOOOO, AWOOOOOOOOOOOOOOOO, AWOOOOOOOOOOOOOOOOOO.

As luzes vermelhas piscando incessantemente e o ensurdecedor barulho das sirenes conseguiram tirar “El Jefe” de seu estupor alcoólico, coisa que as batidas frenéticas do rapaz à sua porta não haviam conseguido fazer.

“Que passa hombre?” perguntou o chefe de produção abrindo a porta de sua suntuosa sala, aparentemente ainda não completamente desperto, ignorando as luzes, o alarme e os monitores de vigilância de sua sala.

“O sol Jefe! Tamit explodiu! Una explosion solarica!!! El puerto está em chamas!” disse o auxiliar antes de desaparecer correndo corredor adentro. Ainda aturdido com as luzes e o barulho do alarme Piovo Sliutare, chefe de produção em “Las Estrelas”, voltou sua atenção para os monitores em sua sala.

Enquanto se sentava em sua cadeira observando os monitores que mostravam grande parte do espaço porto imerso em caos Piovo não conseguiu segurar um sonoro “Puta Mierda!”. Por todo lado os sistemas elétricos e hidráulicos estavam em pane. Portas emperradas, pessoas feridas, faíscas elétricas e chamas eram a ordem do dia. O monitor de segurança do perímetro, que funcionava numa rede separada assim como os demais e aparentemente não havia sido atingido, mostrava diversos contados aproximando-se do porto e no monitor central a seguinte imagem congelada mostrava o causador de toda a confusão:

Image

Segurando a cabeça com a mão esquerda pressionada contra sua testa “El Jefe” apertou o botão vermelho que silenciava os alarmes... seria necessário silêncio para bolar um plano e resolver toda essa bagunça.



Planeta Mirella (Tamit II)
Hora Local: 01:43:02 AM
Estação LV-426.


“Brother Fastus dê-me um relatório da situação!” Soou a voz autoritária no comunicador.

“Meu lorde, as criaturas escaparam... a explosão solar nocauteou nossa rede de transmissão e bloqueou a matriz energética sobressalente. Aparentemente nosso terceiro sistema de geradores redundantes não foi ativada a tempo. Sem energia para as redes de eletro choque e os repulsores psíquicos as criaturas escaparam de suas celas e fossos de contenção” respondeu Fastus enquanto se ajoelhava para analisar algo que atraiu sua atenção “Os dois times de campo afirmam que as cercas de adamantino não resistiram e as criaturas ultrapassaram o perímetro de contenção” continuou Fastus se levantando enquanto esfregava entre o indicador e polegar de sua mão direita uma espessa gosma verde-amarelada. Sua voz era sem emoção, mera análise e relato preciso dos fatos até ali “Aparentemente os inibidores reprodutivos já começaram a falhar sem a influência dos repulsores psíquicos senhor”.

Após uma pequena pausa a voz no comunicador retornou: “E o espécime Alfa?”.

“Ele se foi senhor” respondeu Fastus.

“Que o imperador se apiede de nós” foi a resposta da voz no outro lado do comunicador seguida pelo "click" que pôs termo à conversa.

Enquanto desligava o canal de voz e olhava para a pequena mesa ao seu lado, onde estavam dispostas em um padrão ominoso as cartas do tarot imperial, o Lorde Inquisidor Tirus pensava freneticamente em uma solução. As criaturas contidas em LV-426 não eram “comuns” até onde se pode considerar comum uma raça tão insidiosa e maligna como os Tyranids.

Para LV-426 foram levados os organismos sobreviventes do ataque à Macragge na esperança de que pudesse ser desenvolvida uma solução definitiva para o problema Tyranid. As pesquisas conduzidas até agora conseguiram criar um retro-virus capaz de infectar uma frota invasora e que teria dupla função. Ao mesmo tempo em que liquefaria o DNA Tyranid o vírus causaria retro-alimentação psíquica, com tempo e com várias frotas sendo infectadas essa retro-alimentação psíquica chegaria à Hive Mind colocando termo definitivo no problema.

“Todo o trabalho desfeito em um segundo” resmungou sozinho o inquisidor. Uma única cepa intacta do retro-vírus e uma infestação Tyranid eram o resultado do flare solar na principal estrela do sistema. “Que o imperador amaldiçoe Tamit mil vezes” pensou o Inquisidor. “Os organismos não devem deixar o planeta” disse ele em voz alta “Mesmo que isso custe o planeta ou até mesmo o sistema... cogitador envie uma mensagem ao império... diga aos astropatas que transmitam que Tamit está morrendo e com ele todo Tamit-zaa”.

“Brother Fastus” soou novamente o comunicador auricular no capacete do Space Marine em armadura negra “Executar a ordem Expurgo-77”.



Planeta Mirella (Tamit II)
Hora Local: 03:00:09 AM
“Las Estrelas”


Piovo Sliutare gritava ordens para seus subalternos: “Vamos homens, carreguem rápido, precisamos partir!”. Alguns de seus antigos companheiros permaneciam consigo em sua nova, e legitima função, mas continuavam extremamente hábeis naquilo que sempre fizeram enquanto singravam as estrelas: Pilhagem. E nesse momento especifico eles buscavam extrair compensação financeira pelos serviços prestados à administração saqueando equipamentos do porto estelar.

Piovo e seus homens aproveitavam-se da confusão criada pelo ataque das criaturas de seis pernas. “Tyranidos!!!” haviam gritado alguns de seus homens que serviram no regimento da guarda imperial de seu planeta natal, quando viram as criaturas. Os soldados responsáveis pela defesa do porto montaram um perímetro e estavam combatendo as criaturas conseguindo assim tempo valioso para que “El Jefe” conseguisse fugir. “Não que saibam disso” pensou Piovo mal contendo um sorriso de canto de boca.

Todos estavam muito ocupados entre carregar o máximo possível de equipamento e preparar a nave para partida para perceber a chegada dos Space Marines de armadura negra. Ocultando-se nas sombras e avançando cautelosamente pelo hangar nem mesmo os braços esquerdos prateados e polidos denunciavam a presença desses gigantes. Cada marine, eram 5 deles, tomou posição cercando a nave e os homens que apressadamente a carregavam. Do lado de fora do hangar ouviam-se os incessantes disparos de heavy bolters e autocannons e os característicos “fuimmmm” das lasgun imperiais.

Piovo havia decidido retomar a vida de saques assim que conseguisse uma nave. “Vamos homens... as estrelas nos esperam!” bradava El Jefe. “Quem sabe em Nimbus quando me desfazer deste saque” pensou Piovo no mesmo instante em que o primeiro disparo de um bolter arrebentou seu tórax separando torso e pernas numa bagunça de sangue.

“Sem testemunhas” sussurrou o irmão capitão Fastus em seu comunicador.
User avatar
Gereth
The Painting Frog
 
Posts: 2151
Joined: 25 Jul 2009, 22:33
Location: Cuiabá - Mato Grosso

Re: Bem vindo a Tamitzaa!

Postby Gereth » 15 Dec 2010, 20:52

Image
User avatar
Gereth
The Painting Frog
 
Posts: 2151
Joined: 25 Jul 2009, 22:33
Location: Cuiabá - Mato Grosso

Re: Bem vindo a Tamitzaa!

Postby Gereth » 16 Dec 2010, 01:16

Enquanto isso, na ponte de comando do Strike Cruiser Dactyl's Fire...


- Capitão Dac'tyr, estamos interceptando uma mensagem - disse assustado o Astropata


- Coloque no display, Ta'prom


Dac'tyr dirigiu-se ao monitor principal e começou a ler a alarmante mensagem do Lorde Inquisitor Tirus. A mensagem falava do colapso de Tamit, de resultados catastróficos e de bilhões de vidas imperiais em perigo. Era uma convocação para uma missão de evacuação.


Dac'tyr liderava a 4ª Compania dos Salamanders. Acabavam de voltar de uma missão de reconhecimento em um sistema próximo a Tamit Zaa, buscando artefatos ligados a seu primarca perdido. Encontraram batedores Orks nas proximidades, em uma região onde eles ainda não tinham sido avistados. Seria coincidência?


- Pa'khos, alguma chance daqueles Orks estarem a caminho de Tamit-zaa?


- Senhor, creio que a possibilidade é bem alta. Não acredito em coincidências senhor. A atividade da estrela Tamit pode ter atraído a atenção dos mesmos - respondeu pausadamente o Navegador.


Dac'tyr observou o Dac'tyl's Sigil no elmo dos seus pilotos. O Strike Cruiser Dactyl's Fire carregava toda a 4ª compania, contando com uma pequena forja para reparos dos Salamanders a bordo e um invejável maquinário de guerra para dar suporte. Seus poderosos canhões orbitais eram famosos por terem derrubado inúmeras naves inimigas durante suas várias campanhas. A presença da gigantesca nave por si só já garantia proteção à evacuação. Mas não seria o suficiente se os Orks estivessem mesmo a caminho. Mais preocupante ainda era o fato de que se os Xenos avistados em Mirella realmente fossem Tyranids, o sinal psíquico deles provavelmente atrairia algum tentáculo de Hive Fleet à espreita no setor Loki.


- Convoquem o Techmarine Orlinia e os sargentos de todos os pelotões. Vou explicar a situação de Tamit-zaa e dar as coordenadas iniciais de nossa incursão ao sistema. Não quero cometer erros. Precisamos de dados dos planetas e da presença imperial. Me coloquem em contato com o responsável. Temos que coordenar as ações para não perder vidas em vão. Faremos o inimigo, se ele realmente estiver presente, pagar por cada cidadão que eles venham a matar. Temos que criar tempo para a evacuação acontecer em segurança. Enviem uma mensagem à Nocturne, destinada a Tu'Shan. Precisaremos de toda ajuda. o Forgefather Vulkan He'Stan está no sub-setor Hagnarok, juntamente com uma guarda de Firedrakes e a Frigate Firelord. Se Tu'Shan autorizar, eles serão de grande ajuda.


- Sim Senhor! Transmitirei pelo Vox interno. Todos irão para o Salão de Estratégias.


- Pa'khos, a que distância estamos de Tamit-zaa?


- 3 semanas, Capitão.


- Alguma outra frota Imperial nas proximidades?


- Mais próximas do que nós não, senhor. Recebi sinais de identificação de outras frotas, mas estão entre 4 e 6 semanas de distância de Tamit-zaa.


Dac'tyr lia informações anexas da mensagem sobre a situação de Tamit-zaa. Bilhões de habitantes, atividade do Adeptus Mechanicus intensa, presença de tumbas Necrons - o sistema era um depósito de relíquias e ruínas antigas. Aqueles cidadãos não poderiam ser deixados para trás.


- Pa'khos, prepare para transmitir uma mensagem de curto alcance: todas as frotas no Setor Loki precisam receber esse comunicado.


- Imediatamente, senhor - Pa'khos emendou, já ativando todos os transmissores e dando o sinal para Dac'tyr iniciar a mensagem.


- Aqui é o Capitão Dac'tyr, da 4ª Compania dos Salamanders, a bordo do Strike Cruiser Dactyl's Fire. Todos os capítulos Space Marine que receberem esse comunicado, por favor, atendam a nossa convocação: o sistema Tamit-zaa precisa de nossa ajuda. Bilhões de vidas imperiais correm sério perigo. O sistema está em colapso: a estrela Tamit está morrendo, e sua morte vai consumir todos os planetas.


Suspeitamos que a escória Xeno esteja se aproveitando da situação para atacar. Estejam preparados para enfrenter o inimigo.


As missões de resgate e de auxílio à evacuação estão para se iniciar. Guarnições imperiais estão a postos e até nossa chegada, já estarão combatendo o inimigo em várias frentes. Devemos forçar o inimigo a recuar para dar tempo das evacuações ocorrerem. Devemos criar tempo para salvar o sistema. E já começamos a missão em desvantagem. O tempo é curto. O colapso é iminente.


Repassem esse comunicado a todas as frotas imperiais no alcance. Toda ajuda possível se faz necessária.


Que o Imperador nos guie e nos proteja.


Dac'tyr out
."


- Mensagem enviada, senhor

- Ótimo - Dac'tyr mudou o canal do comunicador da nave para falar com todos os Marines a bordo - Salamanders, o dever nos aguarda! Vidas imperiais devem ser salvas; xenos eliminados. Preparem suas armas: nós marcharemos para Tamit-zaa. Lembrem-se: a vida de um cidadão é a vida de um irmão. Nós lutamos para defender o Império, e os cidadãos SÃO o Império.


Para o fogo da batalha! Até a bigorna da guerra!
Por Vulkan! Pelo Imperador!



Brados dos Salamanders eram ouvidos em todos os cantos da gigantesca nave. Thunderhawks iriam ser carregados, os Chapter serfs preparavam para vestir as Power Armours de seus mestres, armas eram enfileiradas junto com caixas de munição. Tudo deveria estar pronto quando eles chegassem em Tamit-zaa.
Dac'tyr sabia que Tu'Shan aprovaria sua decisão. Os Salamanders prezavam a vida humana. Sem ela o Império não tem sentido. Os pilotos e navegadores da gigantesca nave preparavam para um breve salto no Warp. O Capitão vestiu seu elmo, repetiu os ritos do Promethean Cult, e pensou nas vidas que ele poderia salvar: se fosse para encontrar a sua morte nesta campanha, que fosse salvando o maior número possível de pessoas.
Como o grande Dactylon, o maior predador aéreo de Nocturne, eles rasgariam os céus, deixariam-no em chamas e entregariam a morte a todos que os impedissem de seu objetivo.


Olhou para o seu reflexo na porta metalizada da sala de comando. Ele estava pronto.


Estariam seus inimigos prontos também?
User avatar
Gereth
The Painting Frog
 
Posts: 2151
Joined: 25 Jul 2009, 22:33
Location: Cuiabá - Mato Grosso

Re: Bem vindo a Tamitzaa!

Postby Gereth » 16 Dec 2010, 01:29

Órbita do planeta Ultione (Tamit VI)
Deck de comando do “Danação Eterna” – Chaos Battleship Desolator Class.


Image


Sentado em seu púlpito de comando e envergando sua Power Armour nas cores da legião dos Word Bearers Karax assemelhava-se a um rei. Naquela ponte de comando Karax era mais que isso. Ali Karax era um deus. Ignorando as maldições e xingamentos proferidos contra si pela criatura cativa o Apóstolo Negro mantinha sua atenção fixa nas imagens mostradas na telas dos monitores bem como na estrela principal do sistema que dominava toda a janela de observação da ponte. Em intervalos regulares enormes projeções de plasma se estendiam por quilômetros a partir da estrela. Desde que chegaram ao sistema Tamit-Zaa as erupções solares tornavam-se mais freqüentes.

Aprisionado a sua frente em um circulo de invocação traçado no sangue de 100 vítimas cujos corpos ainda adornavam de forma macabra a ponte de comando estava Shlonixx, um daemonio de khorne: “Tell me why you’ve brought me to this plane human wretch... ” vociferava a criatura em sua língua nativa.

“You”ll adress me as master for now daemon” respondeu o marine do chaos em um tom ríspido mas sereno “What goes on here daemon?”.

“Hsssss ... the corpse emperor’s subjects cower in fear. They call for help to escape their dying sun… the warp bleeds into reality and brings about the destruction of the star…a new gateway … we’ll once more roam free in the galaxy … even as we speak a thousand, thousand cohorts gather and waits… the veil between real space and the warp grows thinner with every flare from the star… soon… master” respondeu o daemonio.

Karax levantou-se de seu púlpito e, sem tirar os olhos da janela de observação caminhou em direção à ela.

De dentro do circulo de invocação o daemonio arremeteu contra o apóstolo negro colidindo violentamente contra a barreira invisível que o encarcerava. Frustrado Shlonixx voltou a praguejar.

“Então as garras da águia imperial afrouxam-se em Tamit-Zaa” disse Karax em voz alta para si mesmo “Este é o momento de atacar e fazer com que os servos do imperador-defunto sofram e é através desse sofrimento que louvaremos os 4 e colheremos suas bênçãos... morte e destruição”.

Percebendo que o apóstolo negro estava absorto em seus pensamentos Shlonixx começou a traçar com as garras dos pés os contra encantamentos que permitiriam que ele escapasse do círculo de invocação. Para ganhar tempo o demônio reiniciou a conversa: “All the planets already show signs the inevitable... they shake and turn trying to fight fate, daemon worlds they’ll become soon, and those who conquer them in the name of Khorne shall be made rulers … princes of our kind” disse o demônio em meio a grunhidos de ódio e satisfação. Cada vez mais rápido ele traçava com as garras as runas místicas de libertação. A medida que seus traços tornavam-se frenéticos e runas arcanas materializavam-se em pleno ar o demônio ganhava confiança para confrontar o marine do caos “And yet none of your kind shall reap the glories of my lord, for right now a shadow looms in the warp and soon none will be able to come or go … and it’s us daemonkind who shall reign supreme in Tamit-Zaa”.

Surpreso com a mudança de tom no discurso do daemonio Karax virou-se para encará-lo dando as costas para a janela de observação no exato instante em que uma nova erupção solar se projetava de Tamit. “FREEEEEEEE” gritou o demônio ao arremeter uma vez mais contra o apóstolo negro a medida em que o circulo de invocação se quebrava. Desta vez nenhuma barreira se interpôs entre o daemonio e seu alvo.

O criatura nunca completou seu ataque. Iluminado pela descarga plasmática da erupção solar o corpo do emissário de Khorne jazia inerte na ponte de comando, seccionado diagonalmente a partir do ombro direito pela pulsante lâmina do guarda-costas de Karax que irrompera das sombras interrompendo a trajetória do daemonio.

“Muito bem” cumprimentou Karax a medida que os restos mortais da criatura se dissolviam do plano real retornando ao warp “nunca deixas de me surpreender com tamanha sua nova agilidade e com o domínio de sua lâmina Kneiros... essa união profana tornou-o um guerreiro ainda mais capaz”. O outro marine do caos meramente assentiu com a cabeça enquanto sua armadura e espada abriam pequenos poros para absorver o sangue daemoniaco que em profusão banhara o guerreiro no momento do golpe certeiro.

“Kneiros, cuide para que um comunicado seja enviado para nossos cruzadores... avise também as outras legiões... existe muito a ser saqueado... não sejamos egoístas” ordenou Karax enquanto sentava-se pensativo uma vez mais em seu trono. Virando para um dos servidores permanentemente acoplados aos sistemas de comando o apóstolo negro ordenou “Trace curso para o terceiro planeta navegador ... vejamos o que nos aguarda... sinto um chamado”.
User avatar
Gereth
The Painting Frog
 
Posts: 2151
Joined: 25 Jul 2009, 22:33
Location: Cuiabá - Mato Grosso

Re: Bem vindo a Tamitzaa!

Postby Gereth » 16 Dec 2010, 07:24

Deck de comando do “Danação Eterna”

"Senhor, temos uma mensagem de resposta ao seu chamado" - se prostrando no chão de mármore negro da ponte do Danação Eterna em frente ao púlpito de comando de Karax, Jasiam tremia de êxtase somente por estar na augusta presença do Apóstolo Negro - "mas aparentemente está criptografada
e requer que o senhor abra a mensagem pessoalmente..."


"Que seja então, Jasiam, passe para o monitor principal", responde Karax.

Jasiam se levanta rapidamente e digita os códigos de acesso para proceder com a operação, e logo em seguida nota uma expressão de curiosidade passando pelo rosto augusto do Apóstolo Negro.

"Algum problema, senhor?"

"Não, aparentemente não... A mensagem diz apenas 'Olhe para seu fiel servo', e nada mais..."

Neste exato momento o corpo de Jasiam começa a se contorcer, sua pele explodindo em pústulas e chagas. Um grito de agonia tenta sair de sua garganta, mas o único som que sai de sua boca subitamente pútrida é um gorgolejo úmido, por conta de seus pulmões cheios de pus.

"Pelas oito pontas da estrela do Chaos! Kneiros! Kneiros!" - Karax se levanta de seu púlpito e começa a entoar encantamentos de banimento quando a massa putrescente que segundos atrás era seu epistolário se ergue e começa a tomar a forma de um gigantesco verme inchado. Com a cabeça cega e uma boca estranhamente humana, porém com dentes demais e todos podres, um sorriso demoníaco se espalha na horrenda face, que fala com uma voz asmática porém de tom doce e melífluo:

"Ora, ora, se não é Karax, meu velho companheiro... Quanto tempo! Espero que me perdoe por seu pobre epistolário..."

Ainda se recompondo da surpresa e da raiva pela invasão de sua ponte, Karax responde em tom ríspido, ao mesmo tempo que faz um discreto gesto para o vulto de Kneiros que se esgueira atrás da monstruosidade que já foi Jasiam. "Quem é você, criatura de Nurgle? Profira seu nome agora, eu ordeno!"

"Ora, ora, Karax, pensei que fôssemos amigos! Não precisa ordenar, é só pedir!"- responde a criatura sorrindo um sorriso impossivelmente largo - "Não lembra de mim na campanha de Talassar?"

"Talassar? Mas... Maggot?!?! Como?"

"Ora, ora, 'como' não importa, o coração de Papai Nurgle é tão grande quanto inchado, e ele sempre lembra de seus filhos devotados... Mas vim aqui em paz, Karax, apenas respondendo ao seu chamado e para dizer que as forças do Grande Apodrecedor já estão em ação aqui. Em breve Shanti será minha, e o resto será todo seu para tomar..."

"Sua?!?! Resto?!?! Com quem você pensa que está falando, verme?" - vocifera Karax, no exato momento que Kneiros crava sua espada demoníaca nas costas da monstruosa aparição. Um sorriso de triunfo passa momentaneamente pelo rosto de Karax, mas não dura muito...

Sem se mover ou aparentemente se importar com a lâmina que o transpassa, com uma gargalhada nojenta o avatar de Maggot responde: "Com quem eu penso que estou falando? Ora, ora, já disse isso, com um velho amigo! Hehehehe, um SOL está doente e morrendo aqui... Pense nisso, 'velho amigo', pense nisso..."

E com essas palavras, o grande verme se dissolve lentamente em uma fétida poça de pus...

"Navegador... aborte o curso para Shanti... que o Maldito Maggot afunde o planete em pus. Redirecionar para Nimbus" ordenou enfurecido o apóstolo negro "Kneiros providencie para que essa poça fétida seja retirada daqui.... preciso reestabelecer as proteções hexagrâmicas da ponte" e começou Karax a entoar cânticos negros e gesticular.
User avatar
Gereth
The Painting Frog
 
Posts: 2151
Joined: 25 Jul 2009, 22:33
Location: Cuiabá - Mato Grosso

Re: Bem vindo a Tamitzaa!

Postby Gereth » 18 Dec 2010, 19:20

Relatório de Campo: XKUP 67849.16122010.M41
Emissor: Magos Biologicus Darwinius Rho-Theta
Origem: Shanti (Tamit III)
Destino: Kappa Digamma II - T (Tamit V)
Canal de Comunicação: Vox de alta performance - Feixe de Neutrino Pi-Lambda 7

Salve o Omnissiah!

Conforme é de vossa ciência, nos últimos meses nossos sensores orbitais começarama detectar sinais em diversas áreas do planeta Shanti (Tamit III) apresentando estranhas formações de fungos em uma escala gigantesca, passível de ser vista de órbita baixa.

Os fungos do genus Mycos Shantiniensis cobriam algumas áreas esparsas e aleatórias do planeta, extraindo sustento através de quimiossíntese sulfurosa do solo ácido do mesmo e se espalhando de forma desordenada pelo solo, apresentando a sua normal cor em diversos tons alaranjados.

Porém o que parece ser uma nova espécie de fungo (ou uma mutação do anterior, estamos verificando suas hélices de DNA, favor consultar arquivo ZSER 8735.26112010.M41), de cor vermelho sangue, tem crescido de forma rápida na superfície do planeta, se espalhando com um padrão curioso que forma monumentais linhas, zigue-zagues, formas geométricas e curvas em vastas regiões do planeta, a ponto de satélites de monitoramento orbital serem capazes de discernir um padrão emergindo desses desenhos convergentes.

Até este ponto não tínhamos nenhuma novidade, a não ser o monitoramento constante dos padrões. Porém nossos cogitadores orbitais nesta manhã nos informaram que algumas das linhas emergentes já se conectaram, e quando requeri um scanner da região em questão, TODOS os sensores foram imediatamente queimados, acusando um overload de input.

Assim sendo, estou despachando uma pequena expedição para a referida região, na qual estarei presente pessoalmente, de forma a tentar coletar mais dados.

Aproveito para informar também que tivemos alguns casos recentes de uma virose particularmente grave e contagiosa na área do espaçoporto. Estamos verificando o assunto e já iniciamos o processo de análise para criação de uma vacina. Os casos até o momento foram esparsos, porém todos se provaram fatais. Suspeitos de contágio já estão em quarentena. A população do espaçoporto está agitada e se fala em "Peste" nas muitas casas de leniência da região. Em anexo segue um scan de um cartaz encontrado na porta de um destes estabelecimentos. Não conseguimos entender o conteúdo do texto, e peço que o mesmo seja encaminhado a um Magos Logus para interpretação e/ou tradução, porém tudo indica para atividade herética.

Fim de Relatório.


Image
User avatar
Gereth
The Painting Frog
 
Posts: 2151
Joined: 25 Jul 2009, 22:33
Location: Cuiabá - Mato Grosso

Re: Bem vindo a Tamitzaa!

Postby Gereth » 20 Dec 2010, 15:38

Incudem, 'A Bigorna'
Basílica da Gloriosa Engrenagem, 707º andar, Patamar Parthus.

Os cânticos ressoavam através dos corredores, o terraço daonde o Arquimagos observava o culto incessante estava perante a grande congregação de servos e servidores lá embaixo, na grande nave da Basílica. A sua frente, no outro balcão, jazia o monstruoso Órgão que tocava os hinos em reverência ao Deus-Máquina. Lindo. Tocante.

"Reverendíssima Santidade Veneratus?..."

"Sim, Adepto Hecaton?"

"Sua Reverendíssima Santidade, o Archmagos Pulgil Sultus, Fabricator-General de Ryza, espera por vós em Disputatio-Conferência."

"Assim que o hino acabar."

"Mas senhor, Sultus é impacie -"

"Assim que o hino acabar."


A voz de Automatus era curiosamente bela para alguém de sua... compleição. Um dos luxos disponíveis aos grandes do Mechanicum incluía a vaidade de uma bela voz, projetada a partir de gravações fiéis e mímica vocal através de seus Vox-Casters elaborados. Ainda mais no caso de Automatus. Trancado em seu Sarcófago, tal qual um Dreadnought dos Astartes, o Archmagos pilotava sua tomba metálica com simplicidade dentro da Basílica, sem derrubar cultistas ou enfeites, em uma desenvoltura curiosa para alguém de aproximadamente 5 metros de altura.

As canções continuaram por alguns minutos, antes que Adepto Hecaton delicadamente conectasse os plugs da unidade de recepção do Sarcófago do Ancião até as linhas de comunicação planetárias - canais especiais para os mais graduados.

"Ave Omnissiah.", disse o gigante Monomachus, em sua voz sequestrada de um antigo cantor operático cujo nome se perdera nas areias do tempo.

"Ave Omnissiah.", respondeu uma vox raspada, desagradável. Pulgil Sultus não aproveitava de tais meios. Sultus não apreciava mais nada, fazia tempos...

"O que requer de mim, Mestre do Plasma?"

"Como combinado, meus... Este é um canal seguro, Automatus?"

"Você me insulta, Sultus."

"Meus... conhecidos logo chegarão a TamitZaa. Fui informado que você, tal como eu, não crê na União Imperial. O Omnissiah não é... o Imperador.",
Sultus ignorara o comentário de Monomachus.

"Tranquilize-se, Sultus. Esse canal só poderia ser decifrado por nossas próprias máquinas, ou um sistema Cogitatoris Inquisitorial poderosíssimo - algo que não se vê no Segmentum inteiro!"

Breve silêncio.

"Muito bem, Automatus. Suas Legiões estão preparadas, acredito?"

"Todos os Skitarii estão sempre a postos. As armas de plasma que enviou estão sendo distribuídas entre as Legiones. Os Principes já foram avisados. Logo devemos marchar."

"Talvez não seja necessário, meu caro Automatus. Como já dito, a IV Legião deverá tornar suas atividades mais... simples. Confie em Polidectes, ele sabe o que faz. Como em Atalantis... lembra dos Pic-Feeds? A destruição fora quase total..."

"Achei que Atalantis fora uma desgraça para si, Sultus."

"A Omnicoppeia não estava lá."

"É claro. Ainda busca o STC Total, não?"


Novo silêncio.

"Observe as estrelas, Automatus. Saberá quando a IV Legião chegar."

"Ave Omnissiah."

"Ave Omnissiah."
User avatar
Gereth
The Painting Frog
 
Posts: 2151
Joined: 25 Jul 2009, 22:33
Location: Cuiabá - Mato Grosso

Re: Bem vindo a Tamitzaa!

Postby Gereth » 20 Dec 2010, 15:44

** Acampamento da OONF! (Orkish Operashuns Naval Fleet), mais precisamente no enorme galpão do Big Mek Weeny Legz... **


Image


“Hummmmmm... Uaaaaaau! Óia só issu rapaziada! Óia essas pérna! I essas kurva intaum, diliciosas! Ki gustusura!”

“Já reparô na comissaum de frênti? E taum turbinadassus!!!!!”

“Pur Grok, se eu tivessi u’a dessas du mêu ládu, ficava apeixonadu!”

“Achu qui vô tê um orkgasmu! Óia a trasêra! Eu mi incaxava dirêitinhu ali... Ai, ai...”

“Cêis sabi u qui tá faltanu aí?”

“U quê, chefe?”

“MEU MEGA KANHAUM NO MEIO DESSAS PERNA!!!!!!! RAR, RAR, RAR, RAR!”

*ARRRROOOOOOOGA! ARRRROOOOOOOGA! ARRRROOOOOOOGA!*

“Mais qui kátzu é essa josta de barúiu, Weeny?”

“A nova kampainha... Tem algum fio dum squig sarnêntu batenu na porta... Ôcêaí?”


“Quem, eu, chefe?” – pergunta um pequeno grot sujo de graxa que estava passando pela oficina

“Naum, fio duma ronquifuça! Ocê é o ‘Tirasmãodaí’, o ‘Ôcêaí’ é êssi disgraçadu surdo du teu ladu!”

“Quem, eu, chefe?” – pergunta Pegaissuaí, outro grot.

"Naum! U ôtro!"

"Quem, eu? Alguém me chamô?"

“AAAAWWWWGH! Tá, serve tu mermo, vai atendê a porta, seu lerdu! Tô ôcupadu aqui kum u staff di criaçaum”


“Ôndi nóis tava mermu?”, pergunta Weeny Legz aos seus dois principais Mek-Assistentes, enquanto eles abriam o pôster central da última edição da PlayGargant que mostrava a foto da estrutura interna de um enorme Stompa sem a sua carapaça de proteção blindada.

Enquanto os três Meks estavam absortos contemplando a foto com olhares vidrados, o estampido de tiros interrompe seus sonhos e Uôtro passa correndo entre eles gritando “O chefe dissi qui tava ocupadu! Ele naum tá! SOCORRROOOOOO!”, até ser atingido por um balaço na nuca e cair morto e estrupiado no meio do galpão.

“QUEM É U FILHU DUM SQQUIGOTH LEPROSO QUE OUSÔ ISBURACÁ MEU GROT?!?!?!?!?!?!?!”- berra Weeny Legz no máximo de seus pulmões, que para um ork do seu tamanho é bastante coisa.

“EU. PRUQUÊ?” – responde uma voz gutural no meio da penumbra

“Ah... Hehehehe, oi, Krabz...”- fala o Big Mek com um sorriso amarelo – “Ocê podi, meu chapa... Qué atirá em ôtro? Eu tenhu um montaum...”

“Nóis num vêio aki pra ixprudi seus Spanna, Weeny. Viemu pêlo ôtro mutivu.” – Responde uma voz mais mansa mas não menos grossa, vindo de um ork cuja silhueta estava até então obscurecida pela gigantesca figura de Krabz. Dok Arrab estava vestindo um avental que em outras eras poderia ter sido chamado de branco, mas atualmente era um mosaico de manchas de sangue das mais variadas tonalidades. “O resto da galera tá cum a gênti aki.”

“Qui resto? Qui galera”

“Nóis” – Ao falar isso entram no galpão logo atrás de Krabz e Dok Arrab Obi-Whak Kenoobi, Weirdboy da OONF e mestre da “Força” e Squigface, um enorme Nob que sofreu um transplante de rosto após ter o seu comido por um face-eater squig, carregando uma enferrujada âncora na mão.

“Quê qui cêis taum fazênu aki? Ôgi naum é dia de squigbreja!”

“Viêmu prá ‘kunference kall’, sua besta, isqueceu?”

“Isqueci.”

“Intaum é mió nóis i logo prus monitô, us ôtro deve tá isperanu a gênti. Cê sabi que isso é imprutante, Weeny, inda mais sem u Chefaum co nóis!”
responde Dok Arrab com um ar de desaprovação no rosto.

“Tá, tá, tá... Vamu pra sala di kunferência. Rapaziada, bota essi pôster na porta do kagadoiro qui dispois eu quero dá uma analizada mió nus detalhi” , diz Weeny Legz enquanto manobra sua cadeira de rodas blindada e guia Krabz, Arrab, Obi-Whak e Squigface para a sala de conferência.
User avatar
Gereth
The Painting Frog
 
Posts: 2151
Joined: 25 Jul 2009, 22:33
Location: Cuiabá - Mato Grosso

Next

Return to Campanha nacional Warhammer 40.000.

Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest

cron