Os Corvos Não Têm Paz

Seção destinada à postagem de estórias criadas pelos usuários ambientadas em qualquer dos universos ficcionais da GW.

Re: Os Corvos Não Têm Paz

Postby Vyster » 03 Dec 2009, 17:01

Clayton2009 wrote:Davian Thule diz :"Who stands with me, shall be my brother" :D
Legal que tenha gostado!

P.S : Esse avatar é da Companhia dele a 2ª Cia. que ao destruir a casa dos Necrons no jogo DOW - Dark Crusade, adotou o lema Victory Over Death (Vitória Sobre a Morte). ;)


É um saco acabar com os necrons no jogo :lol: ! Pena que eu não cheguei a enfrentar os Tau, foram desimados pelos robos/zumbis antes das balas e marretadas do Cap. Thule :D ! Continue com o fluff!
Image
"I hate trees. They're like elves, manling. They make me want to take an axe at them" Gotrek Gurnisson
User avatar
Vyster
Veteran Sergeant
 
Posts: 943
Joined: 26 Jul 2009, 21:01
Location: Brasília/DF

Re: Os Corvos Não Têm Paz

Postby Clayton2009 » 03 Dec 2009, 19:14

ANTES DA TORMENTA, A CALMARIA.

A luta havia cessado fazia 40 minutos. Entretanto, um fedor de coisa morta, mesclado com o cheiro de carcaça queimada do veículo Tau começava a tomar conta da área. O Capitão Nehil ordenara a seus homens que recolhessem os corpos dos irmãos mortos para que o Apotecário recolhesse as sementes genéticas (geneseeds) dos marines mortos. Estas sementes seriam recolhidas, desinfectadas e cultivadas nos laboratórios da Ominis Arcanum. Este implante era crucial para a formação de novos marines, de uma nova geração deles.
Ato contínuo, O capitão ordenara a imediata apreensão e destruição dos corpos alienígenas, não por respeito, mas pelo fato de que os corpos cedo ou tarde atrairiam os animais necrófagos, abundantes nesta área e o calor os decomporia, o que aumentaria o risco de doenças para o Capítulo.
Coube ao scout Tenal Zir mais 04 marines recolhê-los e empilhá-los. Após essa tarefa desagradável, eles prontamente se afastaram. Logo em seguida um marine armado com um multi melta disparou 02 rajadas contra a pilha. O intenso calor gerado por este tipo de arma é o suficiente para derreter a blindagem de um Rhino ou reduzir a cinzas uma árvore. Com efeito, a pilha de corpos foi reduzida a um amontoado irreconhecível de carvão em brasa.
Quanto ao veículo destruído, os techmarines vasculharam os destroços em busca de algo que pudesse ser útil. Como não encontrassem nada aproveitável, eles simplesmente o abandonaram.
O dia chegara ao seu ápice, e a temperatura atingira níveis insuportáveis para um ser humano comum. Talvez os homens da Guarda Imperial de Catachan ficassem à vontade neste mundo. Estas florestas ocultavam um segredo vital para o Império e para o Capítulo dos Blood Ravens.
O Império ordenara a ida do Capítulo a este mundo, pelo fato do seu mundo natal, Cyrene, ser o mais próximo. O que os Blood Ravens não suspeitavam era que seus passos eram cuidadosamente monitorados, assim como os do Tau.
"A foe without honour, is a foe already beaten"
User avatar
Clayton2009
Noviate
 
Posts: 77
Joined: 13 Aug 2009, 19:52
Location: Brasília - DF

Re: Os Corvos Não Têm Paz

Postby Clayton2009 » 03 Dec 2009, 19:25

Vyster wrote:
Clayton2009 wrote:Davian Thule diz :"Who stands with me, shall be my brother" :D
Legal que tenha gostado!

P.S : Esse avatar é da Companhia dele a 2ª Cia. que ao destruir a casa dos Necrons no jogo DOW - Dark Crusade, adotou o lema Victory Over Death (Vitória Sobre a Morte). ;)


É um saco acabar com os necrons no jogo :lol: ! Pena que eu não cheguei a enfrentar os Tau, foram desimados pelos robos/zumbis antes das balas e marretadas do Cap. Thule :D ! Continue com o fluff!


Meu chapa o Tau é casca pra expulsar do jogo!
Eles usam guerrilha urbana com uma porrada de soldados infiltrados.
O HQ deles tem veículo saindo pelo ladrão, pois eles não podem deixar você chegar perto do líder. Pra derrotar o Tau você tem que matar o líder.
"A foe without honour, is a foe already beaten"
User avatar
Clayton2009
Noviate
 
Posts: 77
Joined: 13 Aug 2009, 19:52
Location: Brasília - DF

Re: Os Corvos Não Têm Paz

Postby Clayton2009 » 08 Dec 2009, 12:44

ENQUANTO ISSO NO ESPAÇO...

A Omnis Arcanum continuava, junto com sua frota, a observar a nave Tau. Era um modelo da classe Manta. Suas dimensões eram assombrosas, possuía um devastador poder de fogo e altíssima velociadade. Um ponto fraco nesta nave era a sua blindagem próxima aos impulsores, localizados na parte posterior. Os Blood Ravens sabiam disso, o verdadeiro ponto fraco naquele colosso, a fraqueza a ser explorada no momento oportuno. Entretanto, observação do planeta, no momento, era o que mais importava para o Capítulo.
Subitamente os sensores na ponte de comando pareceram acusar alguma coisa. Um tipo de perturbação no espaço acionou os alarmes. A nave Tau também pressentira algo incomum. A bordo dela o líder espiritual ficara apreensivo. Uma angústia invadiu o seu ser, como jamais havia experimentado. O Senior Librarian dos Blood Ravens sentira dentro de sua mente um tipo de estrondo, e quase caiu desorientado. Apreensivo, dirigiu-se à ponte de comando e falou ao Mestre do Capítulo :
- Senhor, uma presença hostil se aproxima. Suspeito que seja pura malevolência.
O Mestre não gostara da notícia e falou:
- Eles estão aqui? Como é possível?
Nesse ínterim, a nave Tau acabava de receber a notícia da presença dos Blood Ravens. A manta imediatamente carregou suas armas e passou a vasculhar o setor. A caçada começara.
- Fomos descobertos! – Alertara o navegador.
A nave Tau detectara a presença da sonda. Quando esta se dirigia para a lua onde a Omnis Arcanum estava oculta, o impensável aconteceu. Um portal Warp se abrira, como se rasgasse o tecido da realidade. Uma frota de naves surgiu como se viessem do nada. Nela havia o símbolo mais odiado pelo império : Uma estrela de oito pontas, a marca do Caos. O símbolo dos rebeldes era uma estrela de oito pontas com uma mandíbula segurando o desenho de um planeta. Eram os World Eaters.
"A foe without honour, is a foe already beaten"
User avatar
Clayton2009
Noviate
 
Posts: 77
Joined: 13 Aug 2009, 19:52
Location: Brasília - DF

Re: Os Corvos Não Têm Paz

Postby Vyster » 08 Dec 2009, 22:21

AGORA O BAGULHO TA FICANDO SERIO :lol: !!! Pobre Taus, quando finalmente percebe uma mosquinha atrais da lua aparece um monte de abelha de um portar do mal!
Image
"I hate trees. They're like elves, manling. They make me want to take an axe at them" Gotrek Gurnisson
User avatar
Vyster
Veteran Sergeant
 
Posts: 943
Joined: 26 Jul 2009, 21:01
Location: Brasília/DF

Re: Os Corvos Não Têm Paz

Postby Clayton2009 » 17 Dec 2009, 13:24

CHOQUE DE MUNDOS

A bordo da Manta o líder espiritual passara da angústia para o terror absoluto. A descoberta dos Blood Ravens teria que esperar, pois naquele instante sua própria sobrevivência estava em jogo. Ele então ordenara ao comandante da nave:
- Todos os Fire Warriors a postos ! Todos os artilheiros a postos, vamos para um combate contra a imundície do Caos!
Os guerreiros do Caos teriam que ser impedidos antes da abordagem, caso contrário, uma verdadeira carnificina ocorreria a bordo. Os World Eaters em particular eram fiéis seguidores de Khorne, o deus sangrento do Caos. Eles prezavam o combate próximo e adoravam derramar sangue inimigo como uma oferenda e prova da devoção ao seu deus, assim como decapitar o maior número de vítimas possível pela mesma razão.
A Manta disparou uma verdadeira saraivada contra a frota do Caos. Os World Eaters sequer detiveram sua marcha e dispararam um ataque concentrado no centro do casco e nos impusores. A tática funcionara, a nave Tau ficara desarmada e sem possibilidade de fuga. Sua morte agora era mera questão de tempo.
A nave-mãe do Caos acoplara e com um impacto brutal a escotilha foi arrombada. Três imensos leviatãs, disformes e horrendos disparavam contra os Fire Warriors matando-os em grande quantidade. Eram os obliteradores, criaturas que um dia já foram humanas e agora, graças aos poderes ruinosos, eram uma mescla de marine, armadura e armas. Seu porte era gigantesco, possuíam quase quatro metros de altura.
O poder de fogo era tão devastador que nem os trajes de crise XV8, conseguiam agüentar tamanha carga. Logo em seguida uma horda de beserkers invadiu o recinto gritando em alto em bom som :
- SANGUE PARA O DEUS DO SANGUE!!
Os marines entraram em seguida disparando seus heavy bolter e armas de plasma. Os raptores também apareceram provocando uma verdadeira catástrofe. Como nada está tão ruim que não possa piorar, surgiram ao mesmo tempo o Feiticeiro do Caos e o Lorde do Caos. Maltazer era seu nome. Crudelíssimo com suas vítimas e possuidor de uma astúcia demoníaca ele ordenou :
- Vasculhem a nave! Matem à vontade por Khorne! Eu quero que o Etherial seja trazido até minha presença. Lembrem-se, eu quero ele vivo!!
O líder espiritual assistira pelo monitor à invasão. O pronunciamento do Lorde do Caos soara em sua mente como uma sentença de morte.
"A foe without honour, is a foe already beaten"
User avatar
Clayton2009
Noviate
 
Posts: 77
Joined: 13 Aug 2009, 19:52
Location: Brasília - DF

Re: Os Corvos Não Têm Paz

Postby Vyster » 17 Dec 2009, 14:34

Os Taus não tiveram chance contra as machadadas dos terriveis berserkers!!! BLOOD FOR THE BLOOD GOD :twisted: :twisted: !!
Image
"I hate trees. They're like elves, manling. They make me want to take an axe at them" Gotrek Gurnisson
User avatar
Vyster
Veteran Sergeant
 
Posts: 943
Joined: 26 Jul 2009, 21:01
Location: Brasília/DF

Re: Os Corvos Não Têm Paz

Postby Clayton2009 » 27 Jan 2010, 12:31

O MASSACRE

- O mal está a bordo. Nada mais nos resta senão lutar e morrer com dignidade, pelo bem maior! Com estas palavras o líder espiritual do Império Tau lamentava, de forma amargurada, o destino inevitável nas mãos do Caos. Uma escolta dos 30 melhores e mais bravos guerreiros estava ao redor do seu carismático líder. Eles haviam levado o Etherial para uma enorme câmara blindada, na esperança de protegê-lo.
Subitamente, as maciças portas começaram a tremer com um grande estrondo. A câmara havia sido construída com uma espessura de 02 metros na parede e 01 metro nas portas deslizantes, reforçadas com núcleo de ceramite. Parecia que nada poderia deter o avanço dos poderes ruinosos. Todos os guerreiros formaram uma barreira de rifles e armas de energia disponíveis em direção à entrada.
As enormes portas foram adquirindo uma cor avermelhada, passando para o laranja e finalmente um brilho cegante invadiu a câmara seguido de uma explosão. A proteção ruíra.
O líder guerreiro Tau bradou:
- Todas as armas , fogo!!
Uma saraivada de disparos irrompeu no recinto, pegando os World Eaters de surpresa. Eles eram por definição o terror das suas vítimas, mas aquele grupo de guerreiros não se apavorou com a sua presença. Ato contínuo, os três Obliteradores começaram a disparar munição de grosso calibre, seguidos pelos marines armados. Como nada não estivesse tão ruim que não pudesse piorar, chegaram os Beserkers. Um frenesi se apossou deles tão logo conseguiram entrar no recinto. Armados com bolt pistols e machados, avançaram sobre os guerreiros Fire Warriors, matando e decapitando quantos pudessem. Bastaram breves cinco minutos para que a maioria dos protetores do Etherial fosse massacrada. Um dos Campeões do Caos, muito respeitado entre os marines bradou :
- Não matem o líder do Tau! Nosso Lorde exige que ele seja levado vivo até a presença dele! Podem matar o restante!
Assim se fez. O recinto estava coberto por uma camada de 02 centímetros de sangue e o Etherial fora capturado. Momentos mais tarde, uma sinistra escolta levou-o a seu destino. Ao chegar à presença do Lorde do Caos, o líder exclamou:
- Sua presença personifica a imundice e o mal! Nem os humanos do Império suportam vocês! Na verdade, raça alguma tem simpatia por vocês! Vocês..
- Calado, sua escória alienígena! Vociferou o feiticeiro do Caos. Com um simples gesto da mão o Etherial silenciara e seu corpo fora tomado por uma série de espasmos excruciantes. Uma dor indescritível começara a devorar o frágil corpo. A agonia era evidente. Maltazer, até então calado, explodiu em uma gargalhada. Nada lhe dava mais prazer do que o sofrimento alheio. Isso também agradava ao feiticeiro, que disse com satisfação:
- Experimente as correntes da tormenta. Elas não ferem só o corpo, mas também a sua alma e sua mente. É essa agonia que os deuses do Caos reservam aos seus inimigos e aos descrentes! Curve-se a Tzeentch, Nurgle, Khorne e ao Príncipe dos Excessos e eles talvez poupem sua miserável vida!
- Não servirei a eles! Prefiro a morte! – Bradou com uma energia espantosa o Eteherial.
- Se é esse seu desejo... – Resmungou Maltazer.
Com um único golpe de espada ele decapitou a pobre vítima.
"A foe without honour, is a foe already beaten"
User avatar
Clayton2009
Noviate
 
Posts: 77
Joined: 13 Aug 2009, 19:52
Location: Brasília - DF

Re: Os Corvos Não Têm Paz

Postby Vyster » 27 Jan 2010, 22:07

Pobre exercito Tau, nem tiveram chances contra o malditos berserkers! Continue com a historia! Tomare que os Space Marines e o seus brothers das trevas sem enfrentem logo!
Todas essas historias me dão forças para escrever os capitulos finais da minha campanha contra os vampire counts! Apartir de segunda volto com minhas historias!
Image
"I hate trees. They're like elves, manling. They make me want to take an axe at them" Gotrek Gurnisson
User avatar
Vyster
Veteran Sergeant
 
Posts: 943
Joined: 26 Jul 2009, 21:01
Location: Brasília/DF

Re: Os Corvos Não Têm Paz

Postby Clayton2009 » 28 Jan 2010, 19:07

RASTROS DE SANGUE

Maltazer apenas contemplara a cabeça do Etherial que jazia no chão, separada do seu corpo. Por um instante ele fixou um olhar de absoluto desprezo para o cadáver e então ordenou :
- Capturem nove prisioneiros que por ventura ainda estiverem vivos. Tenho planos para eles.
Neste instante um dos Campeões adentrou no receinto e afirmou:
- Meu Lorde, infelizmente não poderemos cumprir tal ordem. De acordo com suas ordens anteriores, matamos e decapitamos todos a bordo desta nave condenada.
Uma expressão de puro descontentamento surgiu no rosto do Lorde do Caos. Ele deveria ter instruído melhor seus homens. Os World Eaters amavam o frenesi do combate e o banho de sangue que ele proporcionava. Era sua oferenda a Khorne, sangue para o deus do sangue e crânios para o trono de crânios.
Assim, Maltezer ordenara que a nave Manta fosse destruída. Entretanto, o feiticeiro do Caos fizera uma interessante terrível descoberta : Ao realizar um ritual necromântico no crânio do Ethereal, um novo fato foi constatado, na realidade dois fatos. O primeiro era que havia uma grande presença Tau no planeta. O segundo e mais interessante : Seus arquiinimigos, os Space Marines também estavam lá embaixo. O feiticeiro pode ver uma última imagem antes do fim do ritual : O desenho de um corvo com uma gota de sangue.
- Blood Ravens ! exclamou o feiticeiro.
A notícia foi dada a Maltazer que ficou furioso. O ódio pelos servos do falso imperador ferveu em seu sangue.
Tão logo a nave Tau fora bombardeada pela frota, ela explodira num clarão branco e alaranjado. As unidades no planeta estavam, deste em momento em diante, condenadas à morte. Matazer bradou a seus homens pelo sistema de comunicação das naves :
- Vamos ao planeta espalhar mais sangue. Vamos varrer aquela escória alienígena e matar os servos do falso imperador. Vamos esmagá-los como vermes.
Os World Eaters estavam indo para aquele mundo em busca de uma relíquia antiqüíssima datada da Heresia de Horus, dez mil anos atrás. O Tau buscava uma nova colônia e um posto avançado. Os Blood Ravens estavam atrás de recursos para o Império e buscando ironicamente a mesma relíquia.Em breve um grande choque aconteceria.
Atrás da lua do planeta, a Ominis Arcanum, junto com sua frota, estava ciente dos passos do Caos. Nesse momento, o mestre do Capítulo deliberava com os Librarians e afirmou :
- Vamos agir a partir de agora. Preparem todo o Capítulo, em especial a 5ª e 1ª Companhia. Todas as naves armar os torpedos e baterias lascannon. Vou dar a ordem a partir de agora.
Agora, apenas uma facção poderia sobreviver.
"A foe without honour, is a foe already beaten"
User avatar
Clayton2009
Noviate
 
Posts: 77
Joined: 13 Aug 2009, 19:52
Location: Brasília - DF

PreviousNext

Return to Fluffódromo!

Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest

cron